Difícil, mas decolou. Rumo ao sucesso com a bricolagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/2318-0722.2024.30.e14031

Palavras-chave:

empreendedorismo, fracassos, bricolagem, caso de ensino

Resumo

Este caso de ensino mostra como a bricolagem empreendedora, uma forma de se reaproveitar o que se tem e fazer muito com pouco, ocorre no empreendedorismo em condições de restrição de recursos. Assim, o caso favorece a compreensão do uso da bricolagem empreendedora na prática. Ele é recomendável para empreendedores enfrentando restrição de recursos e para todas as demais pessoas interessadas em aprender sobre empreendedorismo e administração. Suas principais contribuições são (1) a conscientização sobre a importância de se conhecer os custos e de se avaliar com frequência a viabilidade dos negócios; (2) o favorecimento da aprendizagem sobre como empreender de modo criativo em situações de restrição de recursos, de modo simples e fazendo muito com pouco, e (3) a demonstração do fato de que o empreendedorismo está ao alcance de muitas pessoas, desde que se tenha ao menos certa capacidade para se virar usando o que se tem. São contribuições particularmente relevantes para contextos de carência, subdesenvolvimento, pobreza e crise, como se vê comumente no Brasil, contextos em que é mais necessário fazer muito com pouco e se usar melhor o que já se tem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Madureira Domingues, Centro Estadual de Tecnologia Paula Souza - Etec, São Paulo, SP, Brasil

Mestre em Administração pela UNINOVE (2013) e graduada em Administração pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2010). É professora do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza e Coordenadora Pedagógica na ETEC Bartolomeu Bueno da Silva - Anhanguera.

Edmilson de Oliveira Lima, Universidade Nove de Julho, São Paulo, SP, Brasil

Ph.D. em Administração e pós-doutorado em Administração na HEC Montreal, Canadá. É mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina e bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Viçosa. É professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA - mestrado e doutorado) na Universidade Nove de Julho - UNINOVE, em São Paulo, trabalhando com disciplinas ligadas a gestão de pequenas organizações, empreendedorismo e teoria das organizações.

Referências

Baker, T., & Nelson, R. E. (2005). Creating something from nothing: Resource construction through entrepreneurial bricolage. Administrative Science Quarterly, 50(3), 329–366. https://doi.org/10.2189/asqu.2005.50.3.329

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. (2021, 2 a 8 de maio). Doença pelo Coronavírus COVID-19. Boletim Epidemiológico Especial, 62, 1-96. https://www.gov.br/saude/pt-br/media/pdf/2021/maio/13/boletim_epidemiologico_covid_62-final_13maio.pdf

Davidsson, P., Baker, T., & Senyard, J. M. (2017). A measure of entrepreneurial bricolage behavior. International Journal of Entrepreneurial Behaviour and Research, 23(1), 114–135. https://doi.org/10.1108/IJEBR-11-2015-0256

Di Domenico, M., Haugh, H., & Tracey, P. (2010). Social bricolage: Theorizing social value creation in social enterprises. Entrepreneurship: Theory and Practice, 34(4), 681–703. https://doi.org/10.1111/j.1540-6520.2010.00370.x

Lévi-Strauss, C. (1967). The savage mind (Vol. 17, Issue 2, 6th ed.). University of Chicago Press.

Lima, E. (2022). Empreender com modos não schumpeterianos (ou alternativos): efetuação e bricolagem para superar crises. Iberoamerican Journal of Entrepreneurship and Small Business, 11(3), 1-9. https://doi.org/10.14211/ibjesb.e2344

Nelson, R., & Lima, E. (2020). Effectuations, social bricolage and causation in the response to a natural disaster. Small Business Economics, 54(3), 721–750. https://doi.org/10.1007/s11187-019-00150-z

Sarasvathy, S. (2001). Causation and effectuation: toward a theoretical shift from economic inevitability to entrepreneurial contingency. Academy of Management Review, 26(2), 243-263. https://doi. org/10.2307/259121

Sarasvathy, S. D., Forster, W., & Ramesh, A. (2020). De cachos dourados a Gump: Mecanismos empreendedores para empreendedores do dia a dia. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 9(1), 189-220. https://doi.org/10.14211/regepe.v9i1.1803

Schumpeter, J. A. (1934). The theory of economic development. Harvard University Press.

Thorgren, S., & Williams, T. A. (2020). Staying alive during an unfolding crisis: How SMEs ward off impending disaster. Journal of Business Venturing Insights, 14, 1-11. https://doi.org/10.1016/j.jbvi.2020.e00187

Tsilika, T., Kakouris, A., Apostolopoulos, N., & Dermatis, Z. (2020). Entrepreneurial bricolage in the aftermath of a shock. Insights from Greek SMEs. Journal of Small Business and Entrepreneurship, 32(6), 635–652. https://doi.org/10.1080/08276331.2020.1764733

Downloads

Publicado

02.02.2024

Como Citar

DOMINGUES, L. M.; LIMA, E. de O. Difícil, mas decolou. Rumo ao sucesso com a bricolagem. Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 30, p. 1–10, 2024. DOI: 10.5020/2318-0722.2024.30.e14031. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/14031. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Casos para Ensino