Espiritualidade e decisão de compra no mercado de planos de saúde

Autores

  • Lucas Lopes Ferreira Souza Universidade Estadual do Ceará
  • Felipe Gerhard Universidade Estadual do Ceará
  • Francisco Roberto Pinto Universidade Estadual Do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5020/2318-0722.23.2.336-350

Resumo

O presente trabalho objetiva analisar a influência da espiritualidade organizacional na decisão de compra de planos de saúde. Para tal, foi validada uma escala para medir a importância daespiritualidade frente a outras variáveis que impactam a decisão de compra do consumidor. Ademais, analisou-se a espiritualidade dos entrevistados com relação aos construtos encontrados na pesquisa. Com o intuito de se alcançar os objetivos do estudo, empreendeu-se uma pesquisa descritiva, de natureza quantitativa, cujos dados foram obtidospor meio da condução de um survey. Para a análise dos dados, foram usados módulos de estatística descritiva, análise fatorial exploratória e confirmatória, e ANOVA. Como principais resultados da pesquisa, tem-se que os fatores revelados na análise são: espiritualidade organizacional, características funcionais da empresa, conexão com a empresa e preço. Observou-se que o construto espiritualidade organizacional se caracterizou como o mais importante na decisão de compra dos respondentes, tanto dos que apresentaram alto quanto baixo grau de espiritualidade.

Biografia do Autor

Lucas Lopes Ferreira Souza, Universidade Estadual do Ceará

Doutorando em Administração no Programa de Pós-Graduação de Administração pela Universidade Estadual do Ceará

Felipe Gerhard, Universidade Estadual do Ceará

Doutorando em Administração no Programa de Pós-Graduação de Administração pela Universidade Estadual do Ceará

Francisco Roberto Pinto, Universidade Estadual Do Ceará

Professor do Programa de Pós-Graduação em administração da Universidade Estadual do Ceará

Downloads

Publicado

26.06.2017

Como Citar

SOUZA, L. L. F.; GERHARD, F.; PINTO, F. R. Espiritualidade e decisão de compra no mercado de planos de saúde. Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 23, n. 2, p. 336–350, 2017. DOI: 10.5020/2318-0722.23.2.336-350. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/4817. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos