De lá pra cá ou de cá pra lá? transferência de tecnologia ambiental filial-matriz

Autores

  • José Antônio Puppim Oliveira
  • José Jorge Abraim Abdalla Universidade de Fortaleza

DOI:

https://doi.org/10.5020/2318-0722.9.1.%25p

Resumo

O trabalho resulta do estudo de casos em unidades de filiais de empresas de capital estrangeiro, no Brasil, onde foram desenvolvidas tecnologias ou melhorias de processos ambientais e cujos resultados passaram a ser utilizados nas respectivas matrizes ou em outras unidades da empresa, no exterior. O estudo é interessante por dois aspectos. Por um lado, a visão de transferência de tecnologia, no Brasil, é vista muitas vezes com um viés de ação governamental. Porém, cada vez mais, o setor privado é que detém a tecnologia, principalmente as empresas transnacionais. Por outro lado, geralmente a transferência de tecnologia é vista como um mecanismo unidirecional, ou seja, dos países desenvolvidos para aqueles chamados em desenvolvimento. Este estudo mostra que nem sempre é assim

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Antônio Puppim Oliveira

Ph.D. em Planejamento pelo Massachusetts Institute of Technology - MIT, EUA. Mestre em Planejamento Regional e Ambiental pela Universidade de Hokkaido, Japão. Engenheiro de Sistemas Eletrônicos, pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA. puppim@fgv.br

José Jorge Abraim Abdalla, Universidade de Fortaleza

Pesquisador do Centro Internacional de Desenvolvimento Sustentável da Fundação Getúlio Vargas

Downloads

Como Citar

OLIVEIRA, J. A. P.; ABDALLA, J. J. A. De lá pra cá ou de cá pra lá? transferência de tecnologia ambiental filial-matriz. Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 9, n. 1, 2009. DOI: 10.5020/2318-0722.9.1.%p. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/200. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos