Relações entre práticas de espiritualidade e valores organizacionais sob a percepção de jovens trabalhadores brasileiros

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/2318-0722.23.2.351-366

Resumo

Este artigo aborda a forma como a espiritualidade tem adentrado as organizações com o objetivo de humanizar os ambientes laborais e reduzir as mazelas ocasionadas pela racionalidade exacerbada imposta pela industrialização através do trabalho rotineiro, fragmentado e repetitivo. Sendo assim, visa-se verificar as relações entre as práticas de espiritualidade e os valores organizacionais, questionando-se acerca de: Como as práticas de espiritualidade se relacionam com os valores organizacionais na percepção de jovens trabalhadores? De cunho quantitativo, a matriz de correlações e as estatísticas descritivas foram utilizadas para alcançar o objetivo do estudo. Para coletar os dados, aplicou-se pela internet um questionário estruturado com jovens pertencentes a instituições brasileiras que trabalham com a atividade de aprendizagem e capacitação de jovens com idade entre 18 e 24 anos. Dos questionários aplicados, a pesquisa obteve um retorno de 406 questionários válidos. Os resultados apontaram que os jovens percebem que as práticas de espiritualidade (diminuição da carga de trabalho, valorização do funcionário e exercício da espiritualidade) possuem uma forte associação com os valores organizacionais (bem-estar, autonomia e preocupação com a coletividade), apontando ainda suspeitas de que a prática de espiritualidade seja preditora da percepção dos indivíduos acerca das metas dos valores organizacionais.

Biografia do Autor

Elisângela Julião

Mestre em administração de Empresas; Administradora Professora de cursos de pós-graduação; Consultora orgaanizacional Participante dos núcleos de estudos em Gestão de Pessoas e em Estudos Organizacionais do CRA (Ba)

Jair Nascimento-Santos, Unifacs - Universidade Salvador UNEB - Universidade do estado da Bahia

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais e École dês Hautes Études Commerciales de Montréal (2003). Coordenador da Divisão Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho da Anpad (2013-2017). Editor da Revista Gestão & Planejamento (Qualis B2). Coordenador do Núcleo de Estudos Organizacionais e Tecnologias de Gestão (NEOTEG).

Kely Cesar Martins Paiva, UFMG

Doutora, Mestre e Bacharel em Administração (UFMG, 2007, 1999, 1992). Professora (Adjunto II) e Pesquisadora, Departamento de Ciências Administrativas (CAD), Centro de Pós-graduação e Pesquisa em Administração (CEPEAD), Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Coordenadora do Núcleo de Estudos sobre Comportamento, Pessoas e Organizações (Necop - UFMG) e membro do Núcleo de Estudos Críticos Sobre Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho (NEC-GPRT-UFMG), do Núcleo de Relações de Trabalho e Tecnologias de Gestão (Nurteg ? FNH) e do Núcleo de estudos sobre Estado, Trabalho e Sociedade (Nets, UFPB).

Downloads

Publicado

26.06.2017

Como Citar

JULIÃO, E.; NASCIMENTO-SANTOS, J.; PAIVA, K. C. M. Relações entre práticas de espiritualidade e valores organizacionais sob a percepção de jovens trabalhadores brasileiros. Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 23, n. 2, p. 351–366, 2017. DOI: 10.5020/2318-0722.23.2.351-366. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/6331. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos