Sustentabilidade da dívida pública dos estados brasileiros (Public debt sustainability of brazilian states)

Autores

  • Ana Lúcia Fontenele UFAL
  • Francisco José Silva Tabosa UFC
  • José Nilo de Oliveira Júnior UFC
  • Daniel Barboza Guimarães UFC

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar se o endividamento público dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal é sustentável no período de 2000 a 2010, após a implementação da Lei de Responsabilidade Fiscal. Para isso, foi aplicado o teste de raiz unitária de Im, Pesaram e Shin (2003) para dados em painel, o qual considera que os coeficientes autorregressivos podem variar para cada unidade analisada, pois cada estado apresenta características próprias, com o intuito de descobrir se há estacionariedade na razão dívida/PIB. Porém, os resultados mostraram que, exceto para os estados da Região Centro-Oeste, a dívida pública apresentou um comportamento insustentável no período analisado, confirmando os resultados encontrados por Lopes (2007) e Tabosa et al. (2011). DOI: 10.5020/2318-0722.2015.v21n2p621

Biografia do Autor

Ana Lúcia Fontenele, UFAL

Economista. Mestranda em Economia pela UFAL. Av. Lourival Melo Mota, s/n, Cidade Universitária -Maceió - AL, CEP: 57072-900

Francisco José Silva Tabosa, UFC

Economista. Dr. Professor do MAER/UFC. Av. Mister Hull, s/n, Campus do Pici, bloco 826, Fortaleza/CE. CEP 60000-000.

José Nilo de Oliveira Júnior, UFC

Economista. Dr. Professor do MAER/UFC. Av. Mister Hull, s/n, Campus do Pici, bloco 826, Fortaleza/CE. CEP 60000-000.

Daniel Barboza Guimarães, UFC

Economista. Dr. Professor do Departamento de Administração da UFC. Rua Maria Consuelo Freire, 350, Ap 1104 - Cidade dos Funcionários – Fortaleza/CE - CEP: 60824-040.

Downloads

Publicado

22.12.2015

Como Citar

FONTENELE, A. L.; TABOSA, F. J. S.; JÚNIOR, J. N. de O.; GUIMARÃES, D. B. Sustentabilidade da dívida pública dos estados brasileiros (Public debt sustainability of brazilian states). Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 21, n. 2, 2015. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/4163. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos