Redes de projetos temporários: dinâmica das relações sociais

Autores

  • Ernesto Giglio Universidade Paulista – UNIP
  • Roseli Martin Silva Universidade Paulista – UNIP
  • Wilson Bigas Universidade Paulista – UNIP

Resumo

O trabalho investiga a formação e dinâmica de redes temporárias, a partir dos princípios sociais de redes, e apresenta os dados de pesquisa do ramo de eventos móveis. A pesquisa bibliográfica revelou que são raros os trabalhos que investigam redes temporárias, isto é, grupos de empresas que se unem num trabalho coletivo, com tempo determinado. A proposição básica é que o prazo curto, como é o caso de eventos móveis, dificulta a rápida emergência de categorias sociais que formam as bases da rede, que são a confiança, o comprometimento, a governança e a solução de assimetrias. Foram realizadas entrevistas com representantes de empresas de eventos móveis. A análise sustentou a afirmativa em parte. A governança informal e a solução de assimetrias foram as categorias mais presentes, o que é coerente com as características técnicas e a necessidade de sincronismo do negócio. A rede dos entrevistados não apresenta sinais de confiança e comprometimento, mas uma parceria entre dois sujeitos apontou que essas categorias podem se desenvolver mesmo no curto período do evento. A presente pesquisa se justifica por trazer o benefício de se investigar as diferenças entre redes temporárias e redes perenes, quando o foco está nas relações sociais. Como benefício secundário, o artigo apresenta indicadores das categorias sociais, o que facilita a construção de instrumentos de coleta. DOI: 10.5020/2318-0722.2014.v20n2p604

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15.05.2015

Como Citar

GIGLIO, E.; SILVA, R. M.; BIGAS, W. Redes de projetos temporários: dinâmica das relações sociais. Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 20, n. 2, 2015. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/3661. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos