Administrando com jeitinho (?): o perfil do administrador público

Autores

  • Marinina Gruska Benevides Universidade de Fortaleza

DOI:

https://doi.org/10.5020/2318-0722.14.2.%25p

Resumo

O artigo analisa a memória organizacional, ou melhor, a dimensão de memória social que influencia a identidade organizacional, enquanto apoiando seu reconhecimento, em seu contexto, no presente e no futuro. A dialética seletiva de memória; a possibilidade de recordações e esquecimento; os interesses diferentes significados motrizes para o passado ou para o presente; a memória que luta contra o esquecimento; as formas de como os grupos constroem sua memória são objeto de muitas pesquisas. Raramente, encontram-se estudos sobre memória organizacional, especialmente aqueles que discutem os modos que são usados para controle e sua difícil transmissão, incluindo suas conseqüências para os empregados e a organização inteira. Então, o objetivo deste papel é contribuir para melhorar os usos de tal conceito, enquanto considerando as muitos possibilidades que oferece.

Biografia do Autor

Marinina Gruska Benevides, Universidade de Fortaleza

Doutora e Mestre em Sociologia, Especialista em Recursos Humanos, Especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho, Especialista em Abordagem Sistêmica da Família, Psicóloga, Professora do Curso de Ciências Sociais da Universidade de Fortaleza.

Downloads

Como Citar

BENEVIDES, M. G. Administrando com jeitinho (?): o perfil do administrador público. Revista Ciências Administrativas, [S. l.], v. 14, n. 2, 2009. DOI: 10.5020/2318-0722.14.2.%p. Disponível em: https://ojs.unifor.br/rca/article/view/208. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos