A Religião nas Narrativas do Sofrimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i3.e12633

Palavras-chave:

religião, sofrimento, psicanálise, saúde pública

Resumo

Freud apontou as doutrinas religiosas como manifestações significativas do patrimônio cultural. Hoje, observamos que a força religiosa não cessa de se manifestar nas narrativas contemporâneas. Este trabalho, decorrente de uma experiência na residência em saúde, objetivou analisar as formas como a religião se apresenta nas narrativas de sofrimento de usuários que receberam atendimento psicológico em uma Unidade Básica de Saúde em Maceió, Alagoas. Os atendimentos psicológicos, registrados em diários de campo, foram analisados qualitativamente a partir do método de análise de conteúdo. As falas dos usuários foram agrupadas em três categorias: não é coisa de Deus; graças a Deus; e entrega nas mãos de Deus. Destaca-se a importância da religião em relação ao pertencimento social, assim como primeiro e último recurso para se evitar o sofrimento. Ao mesmo tempo, a busca por atendimento psicológico remete aos limites do discurso religioso como único suporte ao sofrimento e ao próprio desamparo, aspectos discutidos à luz da contribuição da psicanálise.

Biografia do Autor

Isadora Veiga Assunção, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Psicóloga, Especializada em Saúde da Família pela Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Mestranda no Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Luciano Bairros da Silva , Centro Universitário Cesmac

Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Coordenador do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Professor do Centro Universitário Cesmac.

Susane Vasconcelos Zanotti, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Professora Associada do Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Membro da Escola Brasileira de Psicanálise e da Associação Mundial de Psicanálise (EBP/AMP).

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Edições 70.

Bittencourt, M. V. (2017). Psicanálise x Religião: Que triunfo? Stylus Revista de Psicanálise, (34), 111-116. Link

Drawin, C. R., & Kyrillos Neto, F. (2018). Psicanálise e religião: O deslocamento da problemática filosófica, de Freud a Lacan. Tempo Psicanalítico, 50(1), 143-173. Link

Firmino, C. E. (2018). Felicidade e religião em Freud: Uma leitura crítica. Estudos e pesquisas em psicologia, 18(2), 667-684. Link

Freud, S. (1996a). Atos obsessivos e práticas religiosas. In: J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (vol. 9, “Gradiva” de Jensen e outros trabalhos (1906-1908), pp. 109-117). Imago. (Originalmente publicado em 1907)

Freud, S. (1996b). Moisés e o monoteísmo: Esboço de psicanálise e outros trabalhos. In: J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (vol. 23, pp. 15-150). Imago. (Originalmente publicado em 1939)

Freud, S. (2020a). O futuro de uma ilusão. In: G. Ianinni & P. Heliodoro (Orgs.),Obras incompletas de Sigmund Freud. Cultura, sociedade, religião: O mal-estar na cultura e outros escritos (pp. 233-299). Autêntica. (Originalmente publicado em 1927)

Freud, S. (2020b). O mal-estar na cultura. In: G. Ianinni & P. Heliodoro (Orgs.), Obras incompletas de Sigmund Freud. Cultura, sociedade, religião: O mal-estar na cultura e outros escritos (pp. 305-411). Autêntica. (Originalmente publicado em 1930)

Ianinni, G. (2014). Efeitos de cisalha. Revista Cult, (190), 36-39.

Ianinni, G., & Santiago, J. (2020). Mal-estar: Clínica e política [Pefácio]. In: G. Ianinni & P. Heliodoro (Orgs.), Obras incompletas de Sigmund Freud. Cultura, sociedade, religião: O mal-estar na cultura e outros escritos (pp. 33-63). Autêntica.

Lacan, J. (2005). “O triunfo da religião” precedido de “Discurso aos católicos”. Zahar.

Lacan, J. (2008). Seminário, livro 7: A ética da psicanálise. Zahar.

Lei nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica.Ministério da Saúde.

Lo Bianco, A. C. (2014). Religiões e seitas: o que nos dizem sobre nossa vida em sociedade? Revista Cult, (190), 40-42.

Macinko, J., & Mendonça, C. (2018). Estratégia Saúde da Família, um forte modelo de Atenção Primária à Saúde que traz resultados. Saúde em Debate, 42(1), 18-37. DOI: 10.1590/0103-11042018S102

Miller, J.A. (2008). Coisas de fineza em psicanálise- Lições I a VI [Documento de trabalho para os seminários de leitura da Escola Brasileira de Psicanálise]. Escola Brasileira de Psicanálise.

Miller, J. A. (2014). Jacques Lacan: Observações sobre seu conceito de passagem ao ato. Opção Lacaniana Online, 5(13). Link

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. Hucitec.

Medrado, B., Spink, M. J., & Méllo, R. P. (2014). Diários como atuantes em nossas pesquisas: Narrativas ficcionais implicadas. In: M. J. Spink, J. Brigadão, V. Nascimento & M. Cordeiro (Orgs.), A produção de informação na pesquisa social (pp. 274-291). Centro Edelstein.

Rigoni, A. C. C. (2008). Marcas da religião evangélica na educação do corpo feminino: Implicações para a Educação Física Escolar. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas. UNICAMP.

Rodrigues, G. V. (2015). O triunfo da religião e a incerta sobrevivência da psicanálise. Reverso,37(70), 49-54. Link

Silva, C. M., & Macedo, M. M. K (2016). O método psicanalítico de pesquisa. Psicologia: Ciência e Profissão, 36(3), 520-533. Link

Žižek, S. (2015). O amor impiedoso (ou: Sobre a crença). Autêntica.

Žižek, S. (2016). O cristianismo contra o sagrado. In: S. Žižek & G. Boris (Orgs.), O sofrimento de Deus: Inversões do Apocalipse. Autêntica.

Downloads

Publicado

03.01.2023

Como Citar

Assunção, I. V., Silva , L. B. da . ., & Zanotti, S. V. (2023). A Religião nas Narrativas do Sofrimento. Revista Subjetividades, 22(3), e12633. https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i3.e12633

Edição

Seção

Estudos Teóricos