Coletivo Psicanálise na Praça Roosevelt: Um Contexto de Psicanálise Extramuros

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i2.e12117

Palavras-chave:

psicanálise, transferência, psicanálise e política, psicanálise extramuros

Resumo

O Coletivo de Psicanálise na Praça Roosevelt foi fundado em 2017, com o intuito de oferecer atendimento psicanalítico gratuito semanal na Praça Roosevelt, na cidade de São Paulo. Além das sessões aos sábados, realizadas em praça pública, possui um processo de intervisões semanais, nas quais são discutidos aspectos tanto do próprio Coletivo quanto dos casos clínicos adotados pelo mesmo. A pesquisa tem como principal objetivo investigar o trabalho realizado na Praça em seus aspectos técnicos, transferenciais e políticos. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com membros ativos e os resultados permearam sobre tópicos a respeito do espaço de atendimento, rotatividade, tempo, contrato, desmonetização, desejo do analista e apresentação de casos mais graves. A discussão foi organizada a partir do método de análise de conteúdo de Turato, estando organizada em três tópicos: (I) aspectos técnicos e transferenciais no setting na Praça Roosevelt; (II) a Psicanálise e o psicanalista no coletivo; (III) a Psicanálise na praça e seus aspectos políticos. Conclui-se que o modelo de clínica aberta em espaço público é potente e sua reprodução deve se embasar na política do não-saber e na transferência, representando a psicanálise em suas potencialidades clínicas, além de potencializar seu caráter político subversivo.

Biografia do Autor

Tiago Humberto Rodrigues Rocha, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Psicólogo, Psicanalista. Doutor com dupla titulação, em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Université de Rennes 2 (França). Professor Adjunto do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

Yan Lázaro Santos, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Psicanalista membro ativo da sociedade APOLa (Apertura para Otro Lacan).

Referências

Ab´'Sáber, T. A. M. (2019). A Clínica Aberta, o analista no grupo e suas transferências. In B. F. Emerick & R. S. Onocko-Campos (Orgs.), Saúde e loucura 10, Tessituras da clínica: itinerários da reforma psiquiátrica (pp. 79-90). Hucitec Editora.

Aguiar, F. (2016). Psicanálise e psicoterapia: O fator da sugestão no “Tratamento Psíquico”. Psicologia: Ciência e Profissão, 46(1), 116-129. https://doi.org/10.1590/1982-3703004102015

Checchia, M. A. (2012). Sobre a política na obra e na clínica de Jacques Lacan [Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo]. USP: Biblioteca Digital USP. Link

Coaracy Neto, A. R. (2017). A participação social como diretriz estratégica do SUS: A psicanálise operando em lógicas coletivas na saúde [Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo]. PUC-SP: Repositório PUCSP. Link

Danto, E. A. (2019). As clínicas públicas de Freud: Psicanálise e justiça social. Perspectiva.

Eidelsztein, A. (2018). La sustitución de la transferencia de Freud por el Sujeto Supuesto Saber de Lacan, su concepto más desconocido. El Rey Está Desnudo, 12(14), 7-20. Link

Fink, B. (2007). Fundamentos da técnica psicanalítica: Uma abordagem lacaniana para praticantes. Blucher/Karnac.

Freud, S. (1996a). Fragmento da análise de um caso de histeria. In J. Strachey (Org.), Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. VII). Imago. (Originalmente publicado em 1893-1895)

Freud, S. (1996b). Sobre a psicoterapia. In J. Strachey (Org.), Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol VII). Imago. (Originalmente publicada em 1905)

Freud, S. (1996c). O homem dos ratos. In J. Strachey (Org.), Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol X). Imago. (Originalmente publicado em 1909)

Freud, S. (1996d). A dinâmica da transferência. In J. Strachey (Org.), Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol XII). Imago. (Originalmente publicado em 1912)

Freud, S. (1996e). A história do movimento psicanalítico. In J. Strachey (Org.), Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. XIV). Imago. (Originalmente publicado em 1914)

Freud, S. (1996f). Conferências introdutórias sobre psicanálise. In J. Strachey (Org.), Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol XVI). Imago. (Originalmente publicado em 1917)

Geoffroy, R. M. G., & Alberti, S. (2015). Contribuições de Jean Oury para verificar uma possível emergência do sujeito na escola. Estilos Clínicos, 20(2), 246-264. DOI: 10.11606/issn.1981-1624.v20i2p246-264

Lacan, J. (1988). O seminário, livro 3: As psicoses (1955-1956). Jorge Zahar.

Lacan, J. (1996). O seminário, livro 1: Os escritos técnicos de Freud (1953-1954). Jorge Zahar.

Lacan, J. (1998). Escritos. Jorge Zahar. (Originalmente publicada em 1966)

Lacan, J. (2006). Meu Ensino. Zahar. (Originalmente publicado em 1969)

Lacan, J. (2008). O Seminário, livro 7: A ética da psicanálise (1959-1960). Zahar.

Marino, A. S., Coaracy Neto, A. R., & Oliveira, T. (4 de junho de 2018). Uma experiência de clínica aberta de psicanálise. Lacuna: Uma revista de psicanálise, (5), 4. Link

Marino, A. S., & Coaracy Neto, A. R. (2019). Psicanálise na Praça Roosevelt: Uma experiência clínico-política em um espaço público. Teoría y Crítica de la Psicología, 12, 352-367. Link

Turato, E. R. (2008). Tratando e discutindo os dados para a contribuição do pesquisar ao repensar do conhecimento científico. In E. R. Turado, Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: Construção teórica-epistemológica discussão comparada e aplicação nas áreas de saúde e humanas (Vol. 1, pp. 437-521). Vozes.

Zimerman, D. E. (2006). Fundamentos psicanalíticos: Teoria, técnica e clínica – uma abordagem didática. Artmed.

Downloads

Publicado

10.08.2022

Como Citar

Rocha, T. H. R., & Santos, Y. L. (2022). Coletivo Psicanálise na Praça Roosevelt: Um Contexto de Psicanálise Extramuros. Revista Subjetividades, 22(2), e12117. https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i2.e12117

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa