Psicanálise e Feminismo em Karen Horney: A Crítica ao Referencial Masculino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i3.e12759

Palavras-chave:

teoria psicanalítica, feminismo, inveja do pênis, Karen Horney

Resumo

Karen Horney foi uma psicanalista alemã, pioneira da psicanálise, que publicou importantes textos nas décadas de 1920 e 1930, notadamente quando uma discussão intensa sobre a feminilidade despontava nos círculos psicanalíticos, mobilizando diversos autores e autoras. Mesmo assim, sua obra é pouco conhecida no Brasil. Desse modo, o presente artigo tem como objetivo o resgate de algumas de suas principais contribuições no que tange à crítica ao referencial masculino na psicanálise, com vistas a apontar sua relevância histórica e as possibilidades de inserção de suas formulações no contexto atual de discussões sobre psicanálise, feminismos e estudos de gênero no Brasil.

Biografia do Autor

Larissa Ramos da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Psicóloga e Mestre em Psicanálise: Clínica e Cultura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Andrea Gabriela Ferrari, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Psicanálise: Clínica e Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Co-coordenadora do Núcleo de Estudo em Psicanálise e Infâncias (NEPIs).

Referências

Alexander, F., Eisenstein, S., & Grotjahn, M. (1966). Psychoanalytic pioneers: A History of Psychoanalysis as seen through the lives and works of its most eminent teachers, thinkers and clinicians. Basic Books.

Ambra, P. E. S., & Silva, N. (Orgs.). (2014). Histeria e gênero: Sexo como desencontro. nVersos.

Amorim, P. M., & Belo, F. R. R. (2020). A monogamia em Karen Horney: Considerações acerca das construções psicanalíticas sobre feminilidade. Psicologia em Revista, 26(1), 246-268. DOI: 10.5752/P.1678-9563.2020v26n1p239-260

Brasil, M. V., & Costa, A. B. (2018). Psicanálise, feminismo e os caminhos para a maternidade: Diálogos possíveis? Psicologia Clínica, 30(3), 427-446. Link

Cavalheiro, R., & Silva, M. R. (2020). Psicanálise e dissidências de gênero: Questões para além da diferença sexual. Revista Subjetividades, 20(3), e9793. DOI: 10.5020/23590777.rs.v20i3.e9793

Ceccarelli, P. (Org.). (2019). Psicanálise, sexualidade e gênero: Um debate em construção. Zagodoni.

Eckardt, M. H. (2005). Karen Horney: A portrait. The American Journal of Psychoanalysis, 65(2), 95-101. Link

Freud, S. (1977a). Moral sexual “civilizada” e doença nervosa moderna. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (vol. 9). Imago. (Originalmente publicado em 1908)

Freud, S. (1977b). Sobre a sexualidade feminina. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (vol. 21). Imago. (Originalmente publicado em 1931)

Freud, S. (1996). A organização genital infantil: Uma interpolação na teoria da sexualidade. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, (vol. 19). Imago. (Originalmente publicado em 1923)

Freud, S. (2006). Feminilidade. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas (vol. 22). Imago. (Originalmente publicado em 1933)

Garrison, D. (1981). Karen Horney and feminism. Signs: Journal of Women in Culture and Society, 6(4), 672-691. Link

Gilman, S. (2001). Karen Horney, M. D., 1885-1962. The American Journal of Psychiatry, 158(8), 1205. DOI: 10.1176/appi.ajp.158.8.1205

Horney, K. (1966). Novos rumos na psicanálise. Civilização Brasileira. (Originalmente publicado em 1939)

Horney, K. (1977). A personalidade neurótica do nosso tempo. Civilização Brasileira. (Originalmente publicado em 1936)

Horney, K. (1991a). A fuga da feminilidade. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1926)

Horney, K. (1991b). A gênese do complexo de castração nas mulheres. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1923)

Horney, K. (1991c). A desconfiança entre os sexos. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1931)

Horney, K. (1991d). O medo da mulher. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1932)

Horney, K. (1991e). A negação da vagina. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1933)

Horney, K. (1991f). A supervalorização do amor. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1934)

Horney, K. (1991g). O masoquismo feminino. In K. Horney, Psicologia feminina. Bertrand Brasil. (Originalmente publicado em 1935)

Irigaray, L. (2017). Este sexo que não é só um sexo: Sexualidade e status social da mulher. Editora Senac.

Natterson, J. M. (1966). Karen Horney: The cultural emphasis. In F. Alexander, S. Eisenstein & M. Grotjahn, Psychoanalytic pioneers: A History of psychoanalysis as seen through the lives and works of its most eminent teachers, thinkers and clinicians. Basic Books.

Mariotto, R. M. M. (Org.). (2018). Gênero e sexualidade na infância e adolescência: Reflexões psicanalíticas. Ágalma.

Martins, P. G. (2021). A norma do falo e a abjeção da mulher na psicanálise. Revista Subjetividades, 21(1), e10945. DOI: 10.5020/23590777.rs.v21i1.e10945

Martins, A. A., & Silveira, L. (Orgs.). (2020). Freud e o patriarcado. Hedra.

Rosa, C. T., & Weinmann, A. O. (2020). A sexualidade feminina em escritos das pioneiras da psicanálise. Subjetividades, 20(3), 1-13. DOI: 10.5020/23590777.rs.v20i3.e9499

Rubin, G. (1975). Tráfico de mulheres. SOS Corpo.

Santos, B. (2018). Normatividade, gênero e teoria psicanalítica: Uma reflexão sobre a criação de palavras novas. Ágora, 21(1), 23-33. DOI: 10.1590/1809-44142018001003

Sayers, J. (1992). Mães da psicanálise: Helene Deutsch, Karen Horney, Anna Freud e Melanie Klein. Zahar.

Spielrein, S. (2014). A destruição como origem do devir. In R. Cromberg (Ed.), Sabina SpielreIn Uma pioneira da psicanálise (vol. 1). Livros da Matriz. (Originalmente publicado em 1911)

Stona, J., & Ferrari, A. G. (2020). Transfobias psicanalíticas. Revista Subjetividades, 20(1), e9778. DOI: 10.5020/23590777.rs.v20i1.e9778

Winnicott, D. W. (1975). O brincar e a realidade. Imago.

Downloads

Publicado

27.12.2022

Como Citar

Silva, L. R. da ., & Ferrari, A. G. (2022). Psicanálise e Feminismo em Karen Horney: A Crítica ao Referencial Masculino. Revista Subjetividades, 22(3), e12759. https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i3.e12759

Edição

Seção

Estudos Teóricos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)